segunda-feira, 5 de julho de 2010

Tratamento Feridas

Você sabe avaliar e tratar feridas?

Processo de reparaçãp tissular

Primeira fase: inflamatória

Segunda fase:proliferativa

Terceira fase: maturação (cicatrização)

Tipos de cicatrização

Cicatrização por primeira intenção:quando não há perda de tecido e as extremidades da pele ficam justapostas uma à outra. Geralmente ocorre em lesão por instrumento cortante. Não é necessário manter o meio úmido continuamente.

Cicatrização por segunda intenção: ocorre em feridas onde houve perda de tecido e as extremidades da pele ficam distantes umas das outras, sendo necessário formação de tecido de granulação até que a contração e epitelização aconteçam. Não há possibilidade de fechamento dos bordos, necessitando assim manter o meio úmido para formação de um novo tecido.

Cicatrização por terceira intenção: ferida é deixada aberta por um tempo, sendo suturada posteriormente, como cicatrização por primeira intenção. Feridas cirúrgicas abertas.

Fatores que influenciam no processo de reparação tissular
•Idade;
•Estado Nutricional;
•Vascularização;
•Condições sistêmicas;
•Infecção;
•Fatores mecânicos;
•Presença de corpos estranhos;
•Linhas de tensão.

Para avaliar o risco de um paciente desenvolver úlcera por pressão utiliza-se a ESCALA DE BRADEN que avalia 6 itens: percepção sensorial, umidade, atividade, mobilidade, nutrição e fricção e cisalhamento. Avaliação: 06 à 11 pontos = Risco Alto 12 à 17 pontos = Risco Moderado
18 à 20 pontos = Risco Baixo

Hidrocolóide

Em contato com a ferida, interage com o exsudato para formar um gel. Esse gel cria um meio úmido na superfície da ferida, que estimula a síntese de colágeno e acelera o crescimento e a migração de tecidos epiteliais. O gel evita a aderência a ferida e proporciona alívio da dor por manter úmida as terminações nervosas. Deve ser indicado para quaisquer feridas com volume pequeno ou moderado de exsudação. A cobertura pode permanecer por até 7 dias, dependendo da avaliação diária.

Hidrogel

Reduzem significativamente a dor, dando uma sensação refrescante, devido a sua elevada umidade que evita a desidratação das terminações nervosas. É contra-indicado em feridas exsudativas. As trocas devem ser realizadas entre 1 a 3 dias.

Papaína

É utilizada no amolecimento e remoção de tecido desvitalizado. Por ser uma enzima de fácil deteriorização deve ser mantida na geladeira.

Carvão ativado

É indicado para feridas infectadas ou não, exsudato abundante ou moderado, sendo trocado sempre que atingir o ponto de saturação. Em lesões com pouco exsudato o carvão pode aderir e causar sangramento durante sua remoção.

Curativos de Alginatos

São derivados principamente de algas. Em contato com a ferida e o exsudato que é rico em sódio, formam um gel. São usados principalmente em feridas com grande quantidade de exsudato. São altamente absorventes, podendo absorver até 20 vezes o seu peso em exsudato, diminuindo a necessidade de troca de curativo.

Ácidos Graxos Essenciais

Os ácidos graxos essenciais promovem quimiotaxia (atração de leucócitos) e angiogênese (formação de novos vasos sanguíneos), mantêm o meio úmido, aceleram o processo de granulação tecidual, facilitam a entrada de fatores de crescimento, promovem mitose e proliferação celular, atuam sobre a membrana celular, aumentando a sua permeabilidade, auxiliam o debridamento autolítico e são bactericidas para S. aureus.

Referências Bibliográficas:
Manhezi AC. Utilização dos ácidos graxos essenciais no tratamento de feridas. Reben, Brasília 2008 set-out, 61(5):620-9.

Fundamentos em tratamento de feridas. 2007

0 comentários:

Notícias

Loading...

Sample Text

Estamos de passagem, mas não viemos a passeio